terça-feira, 25 de novembro de 2014


Natal

Ivone Boechat

Quando ressoam os primeiros acordes
da festa do Natal,
uma saudade imensa
acorda os corações da humanidade,
parece que o livro da vida foi aberto
lá na introdução da história
que ficou bem longe,
vultos e personagens desfilam
nas memórias,
ressurgem latentes, vivos,
num caminho de luz;
preste atenção,
muitos de nossos pais
já se foram, mas deixaram,
a data simbólica do aniversário,
e a doce missão de abraçar
Jesus.


(Amanhecer-4ª.edição)


 O poder do Natal

Ivone Boechat

                                 Luzes, cores, carinho, festa,
traduzem a alegria do povo
que se manifesta,
comemorando o novo
significado de viver!
Há perfume de cipreste no ar,
um colorido em cada veste,
esperança em cada olhar,
sinfonia celeste de poder.
 O Natal abre presentes
 e passados,
aperta abraços,
convence a humanidade
de que o amor existe,
é o poder do Natal
que ressoa renovando tudo,
prometendo a todos
a paz que não se esgotou,
está escondida
na sua árvore de vida
e você por distração
ainda não encontrou.

(Amanhecer, 1ª.2ª.3ª.4ª.edições)

Os sinos do Natal

Ivone Boechat

Tocam os sinos da
solidariedade,
os acordes da esperança
começaram a vibrar!
O aroma da promessa de Deus
está exalando no caminho
dos homens de boa vontade,
o amor pediu licença
pra chegar;
estende a sua mão,
alcance os aflitos,
veja quantos sofrem
com súplicas no olhar,
dobra os joelhos,
tempo de fé,
não esqueça de se levantar
para atender os gritos.

(Educação-a força mágica)

segunda-feira, 24 de novembro de 2014



O Natal existe!


                     Ivone Boechat


Vamos supor que nada do que os homens acreditam sobre o Natal fosse verdade?
Que aquilo tudo que os profetas disseram sobre o nascimento de Jesus, indicando até o local, era somente uma historinha pra nenhum boi dormir na estrebaria mais bonita do mundo. Que o coral de anjos nos céus de Belém, cantando a sinfonia maravilhosa, cuja letra a humanidade inteira sabe cantar (quem não canta é porque não quer, mas sabe) era somente para assustar e desmaiar pastores no campo...

Vamos supor que os reis magos, vindo de muito longe, do oriente, talvez de Bagdá, carregando presentes caríssimos, era uma propina e que esses cientistas pesquisadores queriam somente passear, usurpando verbas, em jurisdição alheia, nas barbas de outro rei.

Vamos supor que a fuga da família para o Egito era somente uma excursão para gastar as milhas acumuladas no lombo do burrinho de Nazaré a Jerusalém. Ou que Herodes decretou a matança das crianças só para agradar os aliados da base do seu governo.

Vamos supor que a Escola que Jesus fundou na Galiléia com educação presencial e virtual, com módulos para o ensino à distância, escrito pelos alunos ou que a sua preocupação ao mostrar a importância do uso correto da rede (web) ensinando a acessar,  convidando a Pedro Tiago e João para o seu twiter (segue-me...)  ensinando a Pedro a se ligar ao provedor, dando-lhe a senha (Tudo o que ligares na terra...) foi só uma coincidência com a linguagem virtual de hoje.

Vamos supor que o sermão do monte era uma tese de doutorado, nada mais, e que os valores ensinados eram somente a oportunidade para implantar a merenda escolar, a cesta básica, o vale refeição, o exercício do Pai Nosso supervisionado.

Vamos supor que as curas maravilhosas, que não foram o foco principal do ministério de Jesus, mas sim o Seu plano de salvação, serviram somente para atiçar a inveja dos políticos milagreiros e que a cruz foi a sentença por um crime político de traição ao poder dos governantes. Se tudo isso fosse uma metáfora, se vivêssemos só esperando a felicidade e a recompensa na Terra, se não pudéssemos comemorar o Natal, porque Jesus não é o Salvador prometido, é um filósofo famoso, com jornada acadêmica encerrada, então poderíamos  parafrasear o Apóstolo Paulo:
 “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens”. I Coríntios 15:9


(Educação-a força mágica)

sábado, 22 de novembro de 2014


Natal é mudança

           Ivone Boechat

No dia do Natal
tudo amanhece
exatamente igual;
o céu espera
que você acorde
muito diferente;
isto você alcança,
sendo o maior símbolo
de mudança:
sendo luz,
com o propósito
de viver daqui pra frente
de maneira tal
que  ao olharem pra você
as pessoas se lembrem de Jesus.


(Amanhecer 4ª.edição)

sexta-feira, 21 de novembro de 2014


Prece de Natal

               Ivone Boechat

Na reflexão
deste final de ano,
ponha em ordem
atitudes e decisões,
faça um alerta
pra despertar
esperanças
que acordem
sonhos,
porque afinal
é tempo
de refazer ações,
restaurar corações,
tornar risonhos,
os  doces
encontros do
Natal.


(Amanhecer-4ª.edição)