quinta-feira, 27 de agosto de 2015

segunda-feira, 24 de agosto de 2015


            Precisa-se

                                               Ivone Boechat

           Precisa-se de pessoas capazes de olhar as coisas medíocres lá de cima e vê-las tão pequenininhas e embaçadas que as alegrias e as vidas grandiosas tornem-se especiais, realçadas.

Procura-se de gente educada, capaz de calar nas horas certas, de chorar nas incertezas e de sorrir certamente; de alguém que saiba dizer palavras de certeza, quando as dúvidas machucarem as dores da incompreensão.

lugares vagos e lacunas deixadas por aqueles que não quiseram permanecer fiéis ao segredo das horas angustiantes e se deixaram levar pela palavra fácil e dolorosa da traição.

Quem souber de alguém que goste de conversar coisas bonitas, de viajar pelo mundo encantado da fé, de ler poesias e acreditar no amor, revele-o imediatamente e não tenha medo de inscrevê-lo no concurso dos "homens de boa-vontade".

As inscrições para amigos estão abertas dia e noite. Não há limite de idade, nacionalidade ou religião. Basta tão somente ser honesto. Se for honesto, será bom; se for bom, será companheiro. As funções serão compatíveis com a fragilidade, porque não se exige sacrifício, mas, sobretudo, sensibilidade para sentir-se necessário.

Precisa-se de companheiros com voz forte para gritar em favor dos que sofrem infâmias; de pessoas de palavra, sem avalistas ou testemunhas; para se firmar um dos mais sérios compromissos do relacionamento humano: a amizade.

Publicado no livro Por uma Escola Humana,  pág.144- Ed. Freitas Bastos, RJ 1987

quinta-feira, 20 de agosto de 2015


(Amanhecer 1a.edição Unigranrio 1983 RJ)

segunda-feira, 10 de agosto de 2015


(Extraído de Educação-a força mágica)

domingo, 9 de agosto de 2015





Dia dos pais


Ivone Boechat 

No desencontro diário, na corrida desenfreada pela sobrevivência, o que poderia substituir o calor do
abraço amigo de um pai ?

Quando a humanidade se desorganiza, atônita na fumaça da poluição e na palidez de medos e violências, uma voz se firma no
aconchego da prece: seu pai.

Você, papai, não está superado, quadrado, caduco ou fora de moda. Seu Autor o desenhou, detalhadamente, no figurino do Universo para
o equilíbrio do Lar.

Pai, você tem sido atacado de todas as maneiras e tem sofrido os dissabores da ingratidão e do abandono. A tecnologia se especializou na guerra contra a família e, muitas vezes, você lutou, quase sozinho, porém os séculos não apagaram
seu discurso de amor.

Você ajoelhou-se, diariamente, e clamou por seus filhos. No exemplo, fortaleceu-se como homem correto e jamais se deixou abater nos apertos financeiros. Sempre estendeu a mão amiga nas horas tristes e mesmo não tendo muito para oferecer,
deu tudo o que possui.

No seu Dia, receba o sincero reconhecimento por tantas horas de renúncia, de perdão, de afeto. Os filhos crescem para o mundo, todavia, ao seu lado, são crianças frágeis, sem juízo, peraltas. Mesmo discordando de suas idéias, na vaidade de conceitos “atualizados” e modernos,
a última palavra é a sua.

Antigamente, quando pequenos, os meninos olhavam para cima para escutá-lo, e hoje, mais altos do que você, continuam a olhar para cima, porque
o exemplo ficou muito acima deles.

(Extraído do livro Educação-a força mágica)